Na segunda-feira aproveitei que os horários do marido fechavam com os meus e fui conhecer a Palavraria Livros & Café. Fica ali no Bom Fim, outro bairro super querido e convidativo, na Vasco da Gama! É um lugar pequeno, cheio de preciosidades em forma de livros, com um café ao fundo e muita gente querida e alto astral pra te atender!

O motivo da minha visita era o Vereda Literária deste ano, o quarto evento, que acontece sempre próximo as datas da Feira do Livro (só descobri esse ano)! Aproveitei que na segunda estariam ali para uma conversa sobre biografia e ficcionalidade as escritoras Mari Kalil (virei fã, como vocês podem notar, depois de devorar seus dois livros) e Cintia Moscovich (outra fera, preciso conhecer as oficinas dessa mulher), mediadas pela jornalista Luciana Thomé, uma querida de marca maior!

Claro que eu sou aquele poço de timidez e acabo escolhendo um cantinho discreto, e interagindo bem pouco, mas adorei estar ali. Era como estar em família, entre meus livros, no meu quarto lá da adolescência, naquele mundinho de romances, poesias, exercícios literários!

Preciso descobrir quando foi que perdi tudo isso, onde deixei passar todos esses sonhos e fui parar em um hospital, hahaha! Não posso reclamar, mas as vezes bate uma nostalgia…

Bem, a Vereda Literária reúne em duelos para conversas os escritores gaúchos e eles nos contam sobre seus processos criativos, suas inspirações, dificuldades, seus inspiradores, suas fontes – na vida real ou na imaginação – e sobre diversas formas literarias!

Na segunda foi sobre as crônicas que se aproximam de biografias, ou onde a biografia se mistura com a crônica.

A Mariana falou sobre a importância de rir das próprias situações e dramatizar a ponto de conquistar o leitor sem perder a graça e a leveza!

Já a Cintia disse que é preciso sempre mentir um pouco (ou usar a imaginação) nas suas histórias, e que histórias originais se esgotam, já que nossa vida não tem tantos eventos extraordinários assim, e por isso mesmo é importante mentir/criar/enfeitar histórias e fazer nascer um bom romance!

Escrever é difícil, se diferenciar dos outros escritores é mais difícil ainda, tornar isso uma profissão é quase uma peregrinação (que pode dar certo ou não) e exige mais que disciplina e aprendizado.

Enfim, ainda tem alguns encontros desse evento até sexta-feira e dá pra conferir a agenda aqui: Vereda Literária 2013!

E rola na Palavraria quase sempre, à noite, outros eventos, conversas, lançamentos… Vale conferir também, aqui!

Eu virei fã da Palavraria!

Beijos pra vocês!

 

  Ei, curte aqui, vai! :(


Nine Copetti

Dizem por aí que já nasci com um livro embaixo do braço. Ando pelas ruas com o olhar pro alto a procurar nuvens que sejam algodão doce e passarinhos que versem sobre o dourado lindo do sol que chega de mansinho. Desanuvio meus pensamentos em palavras que se tornam meus textos de escape, faça sol ou chuva. Nos dias de chuva eu capricho mais. Dizem.

1 comentário

Porto Alegre Cultural | Outubro e Novembro · 13 de outubro de 2015 às 00:36

[…] Claro que eu não poderia perder o lançamento do terceiro livro da Mari, adoro ela. Já falei sobre ela aqui e aqui. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *