Dizem por aí que essa menina já nasceu com os livros à tiracolo. E que, no auge dos seus 4 para 5 anos de vida, praticamente obrigou a professorinha de uma escola lá do interior do interior do RS a aceitá-la como aluna… porque ela queria estudar, ué. Não demorou muito tempo para ler o primeiro livro sozinha e tirar as primeiras conclusões sobre a vida e as insatisfações mundanas.

Da capital ao interior, do interior à capital, hoje vivendo em Porto Alegre numa relação de amor e ódio com esta cidade natal que nem sempre anda assim, tão alegre. Já quis ser tudo na vida, encontrou um porto seguro na enfermagem, mas o olho brilha e o coração bate mais forte mesmo é quando escreve. Ou sai à fotografar plantinhas que brotam no asfalto. Nem sempre acontece, quase nunca sobra tempo. Mas segue tentando. Isso que importa.

Blogueira de final de semana. Às vezes, de final de mês. Outras, tira férias dos próprios pensamentos e vai viajar em alguns livros, depois volta, pronta pra recomeçar.

Apaixonada pela vida, por bons cafés, por livros – desses que parecem  dar asas pra voar, por viagens que fazem querer ficar, pelas flores que fazem os olhos brilhar,  pelo barulhinho bom de chuva no telhado, por xícaras de chá que abraçam, por músicas que permitem atravessar as portas da percepção, por chocolates que são feitos muito, muito, muito distante daqui e por lugares que cativam só de pisar na soleira da porta.

Já tem algum tempo que encontrou “a tampa da panela” e é incrível como o amor funciona bem quando tem parceria e respeito… E como a combinação café + chocolate + wifi os define e basta (risos)!

Em casa sempre tem internet conectada e um cafezinho recém passado!

Um sonho que nunca morre: ter muitos cachorros, uma casinha na serra com uma varanda imensa e florida com vista para os vales e, claro, ficar bem velhinha ao lado de quem completa a minha vida de um jeito singular!

Escrever é paixão de infância, já deu pra notar.  Começou com alguns versos, um bocado de prosa, uma crônica aqui, outra acolá. Também uns projetos de romance engavetados e uma fama dessas bem boas, de rata de biblioteca…

Tudo isso ainda mora num coração que bate letra, devolve histórias. E assim surgem aqui nesse humilde blog as pequenas crônicas do dia a dia, singelas dicas daquilo que se vive pra compartilhar, desopilar, devanear… Desanuviar! Espantar as nuvens e clarear a alma com palavras bonitas e intenções sinceras!

E essa alma é rio que corre pro infinito mar,  é folha que balança no vento e cai devagar,  brisa que toca no rosto, calorzinho bom que aquece o peito e a vontade de ficar.

O que der na telha vem pra cá! Num outro tempo, no tempo da Nine, sem pressa…

A intenção desse lugarzinho é trocar boas energias para além de tudo que é compartilhado, a gente confia e agradece. O universo retribui.

Gentileza ao chegar e leveza ao partir… Peguem um café e fiquem à vontade!