(Este post foi originalmente escrito no Devaneios de Chocolate, em Maio de 2010)

Pra quem ainda não percebeu, tenho puxado alguns posts antiguinhos – lá do Devaneios de Chocolate – pra cá, aqueles que eu acho que ainda podem ser úteis ou de momentos que tenho boas lembranças e gostaria de compartilhar com vocês! Este é um deles, nossa primeira viagem aérea (sim, sim) e internacional (uma boa forma de começar). Espero que curtam, e que alguém possa aproveitar de alguma forma as dicas! 

Então, neste  ano (2010) resolvemos que faríamos nossa primeira viagem “grande”, oficialmente, nossa primeira viagem planejada de férias. Uau!

Destino escolhido: Montevidéu, no Uruguai – na verdade esse destino já estava em nossos planos há alguns anos, mas só agora foi financeiramente viável (e quase não foi, porque ainda tivemos a compra do apê). Era um sonho do maridão, e uma curiosidade minha. E o resultado da viagem não poderia ter sido melhor. A vontade de ficar morando por lá foi enorme. Pra nós, típico destino pra pedir bis! Voltar, voltar, voltar…

Fechamos nosso pacote com a CVC do Shopping Iguatemi, e tudo correu muito tranquilamente. Escolhemos um hotel com bom custo/benefício, já que luxo não é nossa prioridade, mas sim um lugar para descansar depois de passar o dia “troteando”, desvendando a cidade.

O que mais pesou na escolha: localização. Nossa opção foi pelo Centro, inclusive bem próximo ao Centro Velho, assim praticamente todas as voltinhas que demos foram feitas a pé mesmo!

Escolhemos ir de aéreo, pela praticidade, e porque no período que viajamos uma passagem de ônibus custava praticamente o mesmo valor.

Como era nossa primeira vez por lá, resolvemos incluir todos os passeios possíveis no pacote, então, tivemos uma programação quase que exaustiva:

  • 1º Dia: Embarque no Aeroporto Internacional Salgado Filho – POA às 13:15h (com pequeno atraso, embarque às 13:40h). Chegada ao Aeroporto Internacional de Carrasco – Montevidéu às  15:10h + 30min até o Hotel (transfer incluído). Aproveitamos o restinho da tarde e a noite para conhecer as proximidades do hotel, caminhamos pela Av. 18 de julho, a via principal que leva a quase todos os pontos da cidade. Jantamos no La Pasiva, acho que é bem conhecido de quem mora em POA – se não estou enganada tem uma filial na cidade – e continuamos caminhando… Cidade tranquila, povo acolhedor, simpático… Escureceu cedo, antes das 18h, e o comércio também fecha por volta desse horário, mas várias bancas de rua permanecem abertas, e uma rede de supermercados chamada Ta-Ta funciona até as 24h. Melhor impossível. Já aproveitamos e compramos água, sucos, alguns alfajores e chocolates para possíveis “emergências”.
  • 2º Dia: Em pé cedinho, saída para City Tour às 8:45h. Guia local Virgínia, uma moça super simpática que se utilizou do portunhol, de forma pausada, para se comunicar com nossa turma, que englobava brasileiros, argentinos e chilenos. Ônibus confortável, mas bem simples, quase todos os pontos visitados não tem parada, apenas os que o local permite estacionar, então, preparem-se para anotar os mais atrativos, e voltar em outro momento, com calma e por conta própria. Almoço e resto do dia livres.
  • 3º Dia: Saída às 8:15h para Punta del Este, passando antes por Punta Ballena, visitando a Casa Pueblo, atelier e moradia do artista uruguaio Carlos Paez Vilaró. Passeio de dia inteiro com o guia local Gustavo, que se comunicou em portunhol e inglês para uma turma que lotou o ônibus  incluindo brasileiros, americanos, argentinos, chilenos, venezuelanos e mexicanos.
  • 4º Dia: Saída às 8:30h rumo à Colonia del Sacramento, passando antes por Colonia Suiza, para conhecer o Hotel Nirvana, e pelo Santuário de Schoenstatt, que fica em Colonia também, numa localidade chamada Nueva Helvecia. Esse santuário é a primeira filial no mundo, o original fica na Alemanha. Passeio de dia inteiro com o guia local Marcelo, esse guri manda muito bem, além de se expressar em portunhol (super pacientemente, fazendo pausas para tirar dúvidas, e frisando diferenças entre espanhol e português) e inglês, tem ótimo senso de humor e conduz muito bem a turma, que mais uma vez, estava bem numerosa. Deu várias dicas durante o passeio, individualmente, inclusive, e nos manteve atentos a maior parte do tempo (o que reconheço que é difícil, pois ficamos querendo fotografar tudo, e desligamos do resto).
  • 5º Dia: Totalmente livre. Aproveitamos para conhecer um pouco mais do centro e também o Porto na Ciudad Vieja… fizemos tudo a pé, até a Rambla próxima ao Porto, retornando ao centro. Dia super cansativo. Pés moídos. Mas fomos mais fortes… hehehe, e continuamos mesmo assim o passeio! Muitos pontos importantes acabaram ficando pra trás por falta de tempo, outros por estarem fechados no momento em que tínhamos disponibilidade.
  • 6º Dia: Café da manhã um pouco mais tarde, organização para retorno. Transfer marcado para às 13:15, mas pedimos que viessem mais cedo, pois queríamos conhecer o Aeroporto, almoçar por lá e ainda fazer umas comprinhas no Duty de lá, que é bárbaro, então marcamos para  às  11:30h – foram pontualíssimos! São 30 min até lá. Embarque marcado para as 15:45h, e saiu no horário. Chegamos em POA as 17:05h. Ah, que vontade de ficar por Montevidéu e não voltar mais pra casa.

 

Observações pessoais:

Todo o trâmite legal da viagem correu de forma tranquila e rápida, ambos os aeroportos estavam com pouco movimento, e em nenhum momento tivemos problemas. Todos atenciosos e rápidos. No Uruguai, passamos pela Imigração, e inclusive ali, tudo foi rápido. O desembarque no Aeroporto de Carrasco é feito por dentro do Duty, uma tremenda tentação, né!

O pessoal da CVC foi super competente, desde a contratação. E a Agência receptora, a Daniel Reyes, também foi super atenciosa, estava a nossa espera com plaquinhas indicando nossos nomes (bem coisa de filme, nem esperava), e quando precisamos modificar alguns horários de passeio e o transfer do retorno, prontamente resolveram.

O Hotel em que ficamos também foi ótimo. Todos os funcionários são extremamente cuidadosos e atenciosos. Apesar de falarem apenas espanhol, compreendem bem, e tem paciência quando nós não os compreendemos de primeira!

A decisão pela localização do hotel foi fundamental. Escolhemos o centro, numa rua paralela a avenida principal, isso facilitou muito, fizemos quase tudo a pé, e também utilizamos o serviço de transporte público, que apesar de bem antigo, cumpre bem a tarefa, e nos leva a qualquer lugar de Montevidéu por 17 pesos uruguaios, algo em torno de 1,70 reais (ver taxa de câmbio para confirmar). As principais rotas passam pelas ruas: San Jose, Colonia e Av 18 de Julho, essas três são paralelas.

Contou muito nossas incansáveis pesquisas na internet por dicas, opiniões sobre rede hoteleira, passeios…

Viajamos com orçamento controlado, bem programadinho, e cumprimos à risca o que estipulamos. Levamos já daqui dinheiro em Pesos Uruguaios, e um pouco de dinheiro em Real.

Em Montevidéu são aceitos pagamentos em pesos, em dólares e em grande parte do comércio, se aceitam reais também, além dos cartões de crédito, claro. Em algumas lojas, é importante observar que há preços tanto em dólar quanto em peso uruguaio, vi mais nos shoppings essa situação, e em lojas de importados, eletrônicos. [ $=peso uruguaio/ US$=dolar ]. Em geral, os produtos de lá equivalem aos daqui, e uma boa parte deles vai daqui pra lá, então, acabam sendo mais caros ainda (incluem-se produtos de higiene, alguns alimentos, entre outros).

Vale lembrar que as mesmas dicas de segurança pessoal que adotamos por aqui, continuam valendo por lá. Não custa nada se prevenir.

O clima para quem já vive no sul do Brasil, é muito semelhante. O que muda é quando estamos mais próximos as Ramblas, claro, e no interior. Colonia foi o lugar mais frio que visitamos. No mais, a temperatura ficou entre 16 e 19º. Nada que um bom casaco e cachecol quentinhos não resolva.

Acho que aqui já temos um bom resumo dos nossos dias por lá. Talvez venham outros posts mais específicos e fotos de viagem também. Aguardem.

Fora do Script (eventos que aconteceram e que mesmo a distancia, participamos, nos misturamos, nos sentimos um pouquinho montevideanos):

  • Feriado no dia em que chegamos, que na verdade seria na terça-feira, mas foi transferido para segunda, por motivos óbvios. Muita gente nas praças, mas tudo fechado. O jeito é preparar um chimas e se misturar ao povo!
  • Final do Campeonato Uruguaio – Nacional x Peñarol – com vitória do Peñarol, e festa até tarde da noite na Praça Cagancha e alguma confusão também –  a polícia deles trabalhou muito nesta noite. E nós, corajosos, fomos pra rua comemorar com os torcedores. ♫♫Soy del Carbonero si señor, de corazón♫♫. Dale!
  • 15ª Marcha del Silêncio – os uruguaios foram as ruas, reclamando justiça pelos crimes cometidos no período da ditadura militar. Até o presidente uruguaio estava entre os familiares, na caminhada. Um evento que movimentou a cidade inteira, onde foram citados os nomes de familiares assassinados nesse período. Incrível como eles conseguem reunir tanta gente e não fazer baderna, pelo menos nos eventos importantes para eles!

 Alguns links úteis pra quem quiser consultar: 

Gol Linhas Aéreas

CVC

Decolar

Trip Advisor

Uruguay Natural

Al Uruguay

MontevideoBus

AIC – Aeropuerto de Carrasco

Montevideo de Todos

Punta del Este

Mochileiros

 

Pra nós, foi uma viagem incrível, que guardamos no coração. Cada lugar, cada pessoa, cada cantinho que desbravamos. Mesmo com tão pouco tempo foi possível se apaixonar pela cidade do Coronel Artigas!

 

  Ei, curte aqui, vai! :(

Nine Copetti

Dizem por aí que já nasci com um livro embaixo do braço. Ando pelas ruas com o olhar pro alto a procurar nuvens que sejam algodão doce e passarinhos que versem sobre o dourado lindo do sol que chega de mansinho. Desanuvio meus pensamentos em palavras que se tornam meus textos de escape, faça sol ou chuva. Nos dias de chuva eu capricho mais. Dizem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *