(Este post foi originalmente escrito no Devaneios de Chocolate, em Maio de 2010)

Pra quem ainda não percebeu, tenho puxado alguns posts antiguinhos – lá do Devaneios de Chocolate – pra cá, aqueles que eu acho que ainda podem ser úteis ou de momentos que tenho boas lembranças e gostaria de compartilhar com vocês! Este é um deles, nossa primeira viagem aérea (sim, sim) e internacional (uma boa forma de começar). Espero que curtam, e que alguém possa aproveitar de alguma forma as dicas! 

Em nossa segunda viagem para Montevidéu, apesar de ser pertinho daqui, de fazer parte de acordos especiais e ter algumas facilidades, não deixa de ser uma viagem internacional, que necessita de troca de moeda e também (não obrigatório, mas facilita pra quem tem) um cartão internacional. Então, deixo uma dica pra quem pretende se aventurar pela primeira vez, que só ficamos conhecendo nesta viagem e que foi muito útil.

(Pra quem já é experiente, desconsidere o post ou repasse para quem está viajando pela primeira vez, informação nunca é demais!)

Em maio, fomos com todo o orçamento da viagem já em Pesos Uruguaios, que trocamos na Consultur, no Bourbon Country, aqui em Porto Alegre e pagamos algumas coisas no cartão internacional, que na época era do Unibanco, e não necessitava de nenhuma programação prévia, era apenas usá-lo.  E como já sabíamos que a taxa de embarque do retorno poderia ser paga com cartão, também não precisamos nos preocupar em levar dólares  Muito mais simples e melhor assim!

Desta vez, resolvemos levar Pesos Uruguaios apenas para pequenos usos, como ônibus, lanches rápidos, ingressos em museus…

Todo o resto foi pago no cartão de crédito internacional – aqui vale lembrar que dependendo do banco com que se trabalha, é preciso ou preencher um formulário de viagem internacional, ou ir até a agência e pedir a liberação de uso fora do país por determinado tempo. No caso do Banco do Brasil, fui até minha agência, e pedi utilização no período da viagem. No Itaú, no próprio home banking tem um link com formulário para preencher, mas não cheguei a utilizar.

Voltando: chegou um momento em que sentimos necessidade de ter mais Pesos Uruguaios, e agora?

Eu já tinha ouvido falar em saques internacionais, nos tais bancos 24horas ou no cartão de crédito, mas as taxas e os juros são absurdos, e isso todo mundo sabe. Aí, o que descobrimos, pelo menos lá em Montevidéu, foi o Banred – Rede de bancos credenciados que unem seus serviços em um caixa eletrônico super prático.

Claro que tem toda aquela função de taxas, IOF, etc… Bem, aí cada um deve levar em conta suas necessidades e a praticidade! Nós preferimos sempre optar pelo mais prático, eu não entendo de economia e nem faço muita questão de ficar calculando taxas, vou pelo que for mais prático no momento e que evite qualquer estresse na viagem. Vocês podem equilibrar, jogando um pouco com cada modalidade.

Sobre o Banred, tem em vários lugares, quase que em cada esquina. Mas com um porém: apenas consegui sacar no caixa que fica no Banco Comercial do Uruguay, na Av 18 de Julho com Constituyente, passando o Museu de História da Arte. Ninguém soube me explicar o porquê.

 

Para sacar, é bem simples… Com o nosso cartão internacional, a gente seleciona:  Visa – Extracción (de Pesos Uruguaios ou Dólares) – Conta Corrente – Valor – Confirma – Imprime Comprovante (opcional). Mais ou menos isso, gente!

A taxa do serviço estava em $59,00 (algo em torno de R$ 5,50), que é mais em conta do que nos 24 horas. Se não me engano, o limite diário é de $5000,00 ou U$ 1000,00 – mas é o tipo de informação que a gente precisa confirmar a cada viagem, sempre!

O horário de funcionamento é mais ou menos como o daqui, depois do horário bancário, a porta só abre com o cartão.

Achei super prática essa opção para não precisar carregar tanto dinheiro – já que o volume da moeda uruguaia é grande, apesar de seu pouco valor.  Só achei que todas as agências com o selo Banred deveriam aceitar o serviço, o que não acontece. Mas tudo bem, o Banco Comercial é bem localizado, não me trouxe problemas.

Bom, é isso, pra quem for pra qualquer cidade do Uruguai, até em Rivera, é só procurar o selo Banred, que lá vai ter um caixa eletrônico específico para atender as nossas necessidades turistico-financeiras!!!!

Ah, e quem tiver outras experiências, vamos trocar idéias aqui!!! Ou também já utilizou o Banred, ou tem outras dicas… comentem!!!

Beijooo

2 pessoinhas leram, curtiram e recomendam este post!

Nine Copetti

Dizem por aí que já nasci com um livro embaixo do braço. Ando pelas ruas com o olhar pro alto a procurar nuvens que sejam algodão doce e passarinhos que versem sobre o dourado lindo do sol que chega de mansinho. Desanuvio meus pensamentos em palavras que se tornam meus textos de escape, faça sol ou chuva. Nos dias de chuva eu capricho mais. Dizem.

2 comentários

evanilda maria · 20 de outubro de 2015 às 02:44

Bani de minha vida tudo que se referem a bancos, tenho apenas um cartão de debito do qual utilizo uma unica vez ao mes para sacar meu rico dindim. Com ese cartão consigo sacar em bancos 24h nas viagens nacionais. Conseguirei sacar no banrede ou devo tomar medidas antes. Cartão BB.
Obrigada.

    Nine Copetti · 20 de outubro de 2015 às 09:36

    Oi, Evanilda! Obrigada por comentar!
    O ideal é conversar direto no seu banco para ver se não precisa liberar ou até trocar de cartão para uso fora do Brasil! No BB sempre eles pedem para avisar com antecedência, é mais seguro!
    Um beijo grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *