Fotografia: Laryssa Valim Machado

Exposições Fotográficas sempre me atraem, sou apaixonada pelo trabalho desses artistas que se dedicam a pesquisar um tema, estudar uma cultura ou diversas, viajar, experienciar, registrar e finalmente poder expor o resultado de tudo isso em um local público, aberto à crítica pública de experientes, amadores e passantes. Sou uma fotógrafa totalmente amadora que já está buscando conhecimento mas que ama muito acompanhar o processo de criação e de transposição do olhar puro e simples para as lentes de câmeras profissionais e depois para o papel. Ainda tenho muito chão pela frente e enquanto isso vou admirando o trabalho dessa turma mega talentosa e seus olhares peculiares sobre o mundo.

No dia 14 vai ter bolo, ops… tá, é meu aniversário, mas não é sobre isso que quero falar, né! ;)

Voltando ao que interessa: no dia 14 a fotógrafa Laryssa Valim Machado inaugura a sua exposição “Elas mergulham na carne vermelha do solo” :

“Ela mergulha na carne vermelha do solo
Ela mergulha na carne ardente do céu
Minha negritude perfura a aflição do seu sossego correto”
Aimé Césaire

Mãos que reluziam. Calos do trabalho árduo, calares de preconceito. O desconhecimento das pessoas ao redor em relação ao vírus HIV fazia com que acreditassem que um simples toque era uma forma de “pegar a doença”. Insegurança e medo atravessavam aqueles corpos fortemente femininos. Então, através da imagem das suas expressões em linhas, buscamos juntas uma autoestima em-terrada. Hoje, dois anos depois desse projeto-encontro, já não sei mais se a maneira de abolir a diferença de gênero é através da faca que descasca ou dos tijolos fabricados um por um sob o mormaço africano. Mas seguimos. A exemplo de umas tantas mulheres que moviam um pequeno país em algum outro meridiano e ainda sorriam apesar do peso que carregavam na cabeça, continuando a jornada. No fim, tudo o que elas queriam me dizer com seus braços feitos para voar é que as mulheres não serão mais comidas pela vida. Nessas fotos sobressai-se o aspecto principal das suas existências na minha: uma mescla de força e beleza, de endurecimento e aconchego.

Laryssa Machado

Laryssa é de Porto Alegre, já estudou Jornalismo e atualmente é aluna do curso de Ciências Sociais pela UFRGS – essa menina não pára, e também trabalha como fotógrafa para alguns projetos da Emater, um inclusive esteve exposto na Assembléia Legislativa no final do ano passado, retratando a vida rural de índios e quilombolas, além de outros projetos.

Em 2013 ela viajou para a África com  algumas ideias e ideais na cabeça, depois de algum tempo descobriu as mulheres do Malauí, portadoras do vírus HIV, mulheres de força e beleza indiscutíveis, mas que sobrevivem ao preconceito, ao desprezo e carregam as marcas que ainda hoje essa doença traz. Através da sua percepção, do seu olhar sensível e da convivência durante os encontros semanais dessas mulheres em grupos de apoio, Laryssa teve a ideia de fazer uma sessão fotográfica que ressaltasse justamente esse misto de força e beleza que acabam esquecidas em meio a tantas preocupações.

Muito se fala hoje em dia sobre o empoderamento, empoderar-se dos seus direitos, da sua vida, tomar as rédeas e compreender a força e o valor que vem de dentro, e o que Laryssa buscou com essas mulheres – e acredito que deve ter conseguido – foi justamente mostrar à elas esse poder que elas haviam esquecido que tinham. Um belíssimo trabalho, sem dúvida, e que merece a nossa visita, a nossa impressão e troca de energias – e que mesmo não podendo ir ao encontro desse grupo pessoalmente, possamos nos colocar no lugar delas e tentar entender esse outro olhar ao mesmo tempo em que talvez devêssemos também mergulhar um pouco na carne!

Eu vou depois de assoprar as velinhas e partir o bolo. Vamos?

O que? Exposição Fotográfica: Elas mergulham na carne vermelha do solo, por Laryssa Valim Machado

Quando? Coquetel de Abertura – 14 de Maio – nesta quinta-feira – às 20:30h
                  Visitação – 14 de Maio à 15 de Junho – das 10h às  21h

Onde? Galeria dos Arcos – 1º Andar – Usina do Gasômetro – Porto Alegre – RS

  Ei, curte aqui, vai! :(

Nine Copetti

Dizem por aí que já nasci com um livro embaixo do braço. Ando pelas ruas com o olhar pro alto a procurar nuvens que sejam algodão doce e passarinhos que versem sobre o dourado lindo do sol que chega de mansinho. Desanuvio meus pensamentos em palavras que se tornam meus textos de escape, faça sol ou chuva. Nos dias de chuva eu capricho mais. Dizem.

2 comentários

Turistando em Porto Alegre | Usina do Gasômetro – Desanuviamentos · 16 de outubro de 2017 às 23:40

[…] que está acontecendo lá na Usina do Gasômetro? Então, fui conferir de pertinho as fotos do projeto da Laryssa Machado hoje, um pouco antes de ir pro […]

Turistando em Porto Alegre | Usina do Gasômetro · 21 de maio de 2015 às 22:33

[…] que está acontecendo lá na Usina do Gasômetro? Então, fui conferir de pertinho as fotos do projeto da Laryssa Machado hoje, um pouco antes de ir pro […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *