Hoje é o Dia Nacional do Livro, data em que no ano de 1810 a Real Biblioteca Portuguesa foi trazida para o Brasil e transformou-se na Biblioteca Nacional, desde então  e por esse motivo estabeleceu-se a data em comemoração aos livros! Bacana, né!

Quem me conhece sabe dessa minha paixão por livros (e panfletos, manuais, receita médica, rótulo de qualquer coisa, jornalzinho de bairro, folheto de supermercado… hahaha) , e admito que sou compradora compulsiva deles, não fossem minhas obrigações financeiras eu torraria o salário inteiro em livrarias, sebos e afins!

[blockquote source=”Clarice Pacheco”]

Viajar pela leitura
sem rumo, sem intenção.
Só para viver a aventura
que é ter um livro nas mãos.
É uma pena que só saiba disso
quem gosta de ler.
Experimente!
Assim sem compromisso,
você vai me entender.
Mergulhe de cabeça 
na imaginação! [/blockquote]

Hoje foi um desses dias… Saí pra comprar o presente de aniversário do marido e voltei com três livros entre as compras! Um eu já estava desejando desde que vi no Instagram, o Detox… Outro, pequenino, comprei pra minha mãe que vive se queixando de que a memória não anda lá essas coisas, é um livreto de bolso, bati o olho e lembrei dela. Por último (só porque tinha pressa, olha o perigo, gente) sem querer, passei o olhar por uma lombada e visualizei “Paris”… Pra quê? Claro que tive que conferir mais de perto… e quando li a capa e percebi que o livro era mais que um guia de viagem, era um guia turístico E literário e recheado de fotografias, aí o estrago já estava feito, eu já estava no caixa, passando o cartão… Hahaha!!!! Ambos serão assunto para outros momentos. Me aguardem!

Bem, eu acho que comemorei à altura esse Dia Nacional do Livro, né? O que vocês acharam?

[blockquote source=”Mario Quintana”]De um autor inglês do saudoso século XIX: O verdadeiro gentleman compra sempre três exemplares de cada livro: um para ler, outro para guardar na estante e o último para dar de presente. [/blockquote]

Você tem boa memória? – Sandrine Coussinoux, Dominique Imbert e Natacha Quintard

Detox – Andrea Henrique

À Luz de Paris: Guia Turístico e Literário da Capital Francesa – João Correia Filho

Beijo, beijo…

  Ei, curte aqui, vai! :(

Nine Copetti

Dizem por aí que já nasci com um livro embaixo do braço. Ando pelas ruas com o olhar pro alto a procurar nuvens que sejam algodão doce e passarinhos que versem sobre o dourado lindo do sol que chega de mansinho. Desanuvio meus pensamentos em palavras que se tornam meus textos de escape, faça sol ou chuva. Nos dias de chuva eu capricho mais. Dizem.

2 comentários

Vany Paulino · 30 de outubro de 2013 às 11:12

Tb amo ler! viajo nos livros lendo, me transporto mesmo kkkkk, mas esse é o segredo a magia.Livro me prende e agradeço a eles pois muito tem me ajudado na cura para ansiedade.
Tb sou assim saiu para resolver as coisas de casa mas se tiver uma livraria por perto me perco!, só entende quem tem esse vicio maravilhoso pelas letras! bjo.

    Nine Copetti · 30 de outubro de 2013 às 11:18

    Vany! É um vicio delicioso, né! E relaxa mesmo!!! Obrigada por vir até o blog, adorei a visita!

    Beijo grande

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *