Imagem: Warner Bros

Sábado foi dia de pegar um cineminha com o maridão! O filme escolhido foi Sombras da Noite, de Tim Burton. Melhor escolha, impossível, já que traz no elenco o maravilhoso e pupilo do Tim: Johnny Deep.

Pra não errar, fomos direto no Bourbon Country aqui em POA (nosso shopping e cinema favoritos), numa sessão pós-almoço que é menos movimentada.

Sinopse via WB: O diretor Tim Burton leva a clássica série cult “Sombras da Noite” para os cinemas em uma comédia gótica com um elenco repleto de estrelas, comandado por Johnny Depp, Michelle Pfeiffer e Helena Bonham Carter. No ano 1752, Joshua e Naomi Collins, com seu filhinho Barnabas, saem de Liverpool, Inglaterra, para começar uma vida nova nos EUA. Mas nem mesmo um oceano foi o bastante para fugirem da maldição misteriosa que atormentava a família. Duas décadas depois, Barnabas (Johnny Depp) tem o mundo aos seus pés, ou pelo menos a cidade de Collinsport, Maine. Dono da Mansão Collinwood, Barnabas é rico, poderoso e um playboy inveterado… Até que ele comete o grave erro de partir o coração de Angelique Bouchard (Eva Green). Angelique, uma bruxa em todos os sentidos, o condena a um destino pior do que a morte: o transforma em um vampiro e depois o enterra vivo. Dois séculos depois, Barnabas é libertado por engano de seu túmulo e entra no mundo bastante diferente de 1972. Ele volta à Mansão Collinwood para descobrir que a sua propriedade, outrora grandiosa, está em ruínas.

O filme tem cenas bem fortes: sangue, ataques vampirescos e bruxarias, mas logo a gente cai no riso em alguma com as tiradas típicas desse ator que tem como marca as “caras e bocas” que faz quase que inocentemente, sem intenção.

Tem uma pitadinha de terror, um certo drama, a dose certa de humor e consegue ainda nos tocar com cenas de romantismo… Precisa mais? Não, né.

Trata ainda um pouquinho da indiferença, da esperteza, da ambição e de amores não correspondidos e do mal que podem causar. Inegável que alguns efeitos ficaram bizarros, como a menina-lobisomen e a bruxa craquelando, mas nada tira o brilho da história inventada por Tim Burton.

Adorei o jeito do personagem Barnabás, todo elegante, com senso de decência, como se ainda vivesse na época em que foi enterrado, há 200 anos. Com uma fala rebuscada, uma pose digna dos bem sucedidos da sua época e uma maldição para a vida, ou melhor para a eternidade, ele tenta aprender alguns truques mais modernos com a adolescente rebelde da família Collins, na  intenção de conquistar sua amada, Vicky, que é a encarnação do seu amor e babá da adolescente.

E quem já viu um vampiro escovando os dentes/presas? Ah, até isso tem, gente! Não dá pra não curtir! É de apavorar, rir e chorar!

Eles conseguiram misturar tudo isso e ter um resultado admirável. Eles citaram de Shakespeare em Romeu e Julieta a Erich Segal em Love Store… Lindo, tocante, engraçado e horripilante, enfim, uma delícia de filme! Nem vou contar mais, deixo vocês com o trailer e a dica para assistirem!

Sentiram o clima? Eu posso dizer que só fui assistir porque sabia que a dupla é infalível, pois não sou nada ligada em vampirismos! E como viram, não me arrependi nadinha!

Me contem, gostaram do Deep nesse papel de vampiro metido a playboy, mas também romântico e apaixonado em comparação com os outros personagens que ele já interpretou? Já foram ou estão pensando em ir assistir o filme?

Beijo, beijo…

Uma linda semana pra vocês!

Signature_Nine

  Ei, curte aqui, vai! :(


Nine Copetti

Dizem por aí que já nasci com um livro embaixo do braço. Ando pelas ruas com o olhar pro alto a procurar nuvens que sejam algodão doce e passarinhos que versem sobre o dourado lindo do sol que chega de mansinho. Desanuvio meus pensamentos em palavras que se tornam meus textos de escape, faça sol ou chuva. Nos dias de chuva eu capricho mais. Dizem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *