DEVANEIOS

Aromas e Memórias

separator
Posted on / by Nine Copetti

 

Acordei, levantei da cama bem devagar e fiz meu alongamento matinal – na verdade já passava das 10 horas, eu adoro acordar tarde. Terminei de me esticar e fui lavar meu rosto com um sabonete vegano que comprei pra testar na minha pele, segundo as meninas, feito com o pó de arroz (arroz moído de verdade), pra acalmar, clarear e refrescar! Logo que a espuma tocou meu rosto veio à mente a imagem da minha vó, mãe da minha mãe!

Eu não entendi de cara o porque da lembrança e aí olhei pra aquele pedacinho de sabão espumado e pensei: ela devia usar pó de arroz no rosto, sim, claro! Por isso lembrei dela. Só que cabecinha de vento que é facilmente levada ao devaneio, lá fui eu viajar pelos meus quatro ou cinco anos. Deitada na cama da minha vó, ao lado dela, encantada com um livro ilustrado sobre geometria. Os bonequinhos daquele livro eram tão simpáticos, pareciam tão felizes em aprender o que era um círculo ou um triângulo! A cada
página que a vó Clementina virava, eu soltava um “eeeee”, não sei se eram as cores primarias colorindo e saltando aos meus olhos, se o jeito da vó ao me explicar cada uma daquelas figuras, mas aquele era meu mundo encantado, meu tempo encantado, que passava lentamente e eu torcia pra não acabar. Torcia pra ninguém chamá-la à cozinha ou ao portão – onde as vizinhas sempre apareciam pra um dedinho de prosa sobre o tempo e os outros vizinhos!

O fato é que, lembrando desses pequenos momentos, me lembro também do quantoy hoje estamos tentados à primeira curiosidade, já oferecer o celular aos pequenos, um video de desenho no youtube. E não teria problema nenhum nisso, afinal são tempos modernos, se nós realmente nos envolvêssemos nesse momento com eles, explicando, mostrando, ensinando… Quando o mais fácil e o que mais vejo é largar naquelas mãozinhas pequeninas e fofas um aparelho tecnológico e sentir um alívio porque se distraíram e vamos, nós, poder finalmente conferir nossas redes sociais, responder nossos emails. Enfim!

Saudade de quando um olhar doce e sereno seguido de um convite ao mundo dos livros eram mais interessantes do que qualquer vídeo ou desenho feitos pra distrair!

Saudade da vó Clementina que virou estrelinha faz tempo e deixou um buraco no meu coração! 🖤

 

 

1 pessoinha leu, curtiu e recomenda esse post!

Leave a Reply