Finalmente a estação mais linda do ano (apesar de todas as alterações climáticas dos últimos tempos) está dando o ar da sua graça… E que graça, que beleza, que leveza!

A primavera é a estação mais encantadora, mais charmosa, alegre e contagiante do ano! De dias inteiros de céu azul, grama verdinha e flores por todo lado! Tá, e chuva de vez em quando também, mas é bom pra lavar a alma… dizem que a chuva leva embora todas as energias ruins, então, ela também é bem vinda!

Toda vez que a estação das flores se aproxima fico mais disposta, com vontade de começar projetos novos, cheia de ideias na cabeça!!! Adoro isso… a sensação de bem estar!

Jardins floridos, calçadas coloridas, arvores frondosas (ih, essa palavra ainda é usada?), vai dizer se não dá vontade de sair pela rua saltidando e gritando pro mundo todo sair da toca e ser feliz!!!???

E pra comemorar com pompa e circunstância, nada melhor que as palavras de Cecília Meireles, amo demais, e vocês???

Imagens: Flower Pictures
 A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.

Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.

Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.

Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.

Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera.

(Primavera, Cecília Meireles – Obra em Prosa, 1998)


Uma linda primavera pra vocês… aproveitem pra renovar os sonhos, criar novos projetos de vida, tomem coragem pra colocar em prática aquela ideia que há tempos vocês vinham ensaiando! Depois de quase uma semana melancólica e cinzenta com muita chuva, nada melhor que buscar inspiração em um belíssimo dia de flores iluminadas pelo sol!!!

E um ótimo final de semana!

 

 

Signature_Nine

  Ei, curte aqui, vai! :(

Nine Copetti

Dizem por aí que já nasci com um livro embaixo do braço. Ando pelas ruas com o olhar pro alto a procurar nuvens que sejam algodão doce e passarinhos que versem sobre o dourado lindo do sol que chega de mansinho. Desanuvio meus pensamentos em palavras que se tornam meus textos de escape, faça sol ou chuva. Nos dias de chuva eu capricho mais. Dizem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *